“Yo no soy nada puro, lo mio es la fusión” Raimundo Amador

Ramundo Amador

Quase todos os dias faço um passeio pelas páginas dos centros culturais de Madri, desejando encontrar um bom evento grátis ou barato. Casa Árabe, Casa América, Casa Encendida, entre outros. Hoje o escolhido foi El Matadero, um antigo matadouro de boi, hoje transformado em um  belo centro cultural. No site encontrei a oferta do documentário ”Papagordo. Em casa de Raimundo Amador“ e o que me surpreendeu: “com presença de Raimundo Amador”. Coloquei a roupa, peguei meu gravador, meu bloco de notas e pensei que, com minha cara de pau de protótipo de jornalista, conseguiria fazer duas ou três perguntas a este grande músico e assim apresentar a meus compatriotas. Infelizmente Raimundo Amador não estava. Porém, por que não seguir com o plano inicial?  Os apresento a Raimundo Amador.

Raimundo Amador Fernández, oriundo de Sevilla, nascido dia 26 de maio de 1959 é um guitarrista e compositor de Flamenco, blues e rock. Simpático e carismático, Raimundo é um dos músicos espanhóis mais importantes. Aprendeu a tocar a “guitarra” com seu pai e com 12 anos percorria as ruas de Sevilla tocando em troca de um pouco de comida ou moedas para poder voltar para casa.

Com a cantora portuguesa Maria de Medeiros, interpretando Samba e Amor de Chico Buarque:

El Cigalo y Raimundo Amador:

Conheci Raimundo Amador sem querer ao baixar umas canções aleatórias no emule. Rapidamente me chamou atenção a mistura que fazia este sevillano de origem cigana. Ao flamenco, Raimundo acrescenta rock e blues com maestria, o que o levou a dividir palco com B.B King.

Amador afirma “yo no soy nada puro, lo mio es la fusión” e conta que, quando pequeno, sua família admirava mas também reclamava de alguns de seus gostos e posteriormente influências musicais; como Jimmy Hendrix, do qual um tio uma vez gritou “Raimundo, desliga este troço, parece uma briga de cachorro com gato”.

“Adoro conhecer fusões musicais, talvez por minha vida de trotamundos. Aqui mesmo no Blog publiquei uma entrevista com Irene Atienza, do grupo Saravacalé, que mistura samba e flamenco. Admiro essa salada de culturas em forma de música e me encantou ver um senhor com cara e guitarra de cigano tocar com músicos como Bon Jovi, Mala Rodruiguez ou Björk. Um Músico virtuoso capaz de apresentar pérolas do flamenco e clássicos e canções próprias de rock e blues.

Com Björk:

Flamenco-blues com seu irmão, Rafael Amador:

Amador era um grande bohemio e junto com os amigos músicos passava o dia nos bares, “só nos importava beber, fumar e fazer música, nada mais” afirma. Hoje, aos 52 anos, pai de 5 filhos e avô de 6 netos, Amador vive tranquilamente em Sevilla. Divide seu tempo entre a família e as giras de seu novo álbum Medio Hombre Medio Guitarra.

Acerca de caysasilva

Caysa da Silva, 28 anos, nascido no Rio de Janeiro, Cidade maravilhosa. Ex jogador de futebol na Alemanha, estudante de jornalismo na Universidade Complutense de Madri, Espanha, jornalista freelance, colabora com a revista digital “lahuelladigital.com”, blogueiro de Sambaconflamenco. Entusiasta da vida, pronto para desafios. Caysa da Silva, 28 años, nacido en Rio de Janero, Ciudad maravillosa. Ex jugador de fútbol en Alemania, estudiante de Periodismo en Universidad Complutense de Madrid, España, periodista freelance, colabora con “lahuelladigital”, bloguero de Samaconflamenco. Entusiasta de la vida, listo para desafios. Dados personales: Nome: Caysa da Silva Sexo: masculino Idade: 27 Idiomas: portugués, espanhol, alemao, ingles
Esta entrada fue publicada en Em português. Guarda el enlace permanente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s